Nome: Cargueiro Pesado Modificado HKD Classe-Lucrehulk.

Produção: Corporação Hoersch-Kessel.

Afiliação: Federação de Comércio, Confederação e Setor Corporativo.

Frase: “O escudo defletor deles é muito forte! Nós nunca iremos penetra-lo!” – piloto Ric Olié durante a Batalha de Naboo.

Quando a Federação de Comércio começou a construir seu exército secreto, a Diretoria Executiva sabia que precisaria de uma nave enorme para carregar esse exército, dar apoio orbital e ainda controlar os milhares de droides de batalha que seriam usados em futuras batalhas. Não querendo gastar muitos créditos com naves militares, a Federação decidiu converter sua frota de cargueiros pesados em verdadeiras naves de guerra.

A classe-Lucrehulk era uma imensa nave com mais de 3000 metros de diâmetro. O primeiro passo para converter essas naves foi adicionar mais de 42 canhões quads. Elas também sofreram modificações em seus hangares para acomodar um pequeno e poderoso exército: 6250 AATs, 550 MTTs e 50 naves de desembarque pesadas. Quando atacados, esses cargueiros ainda podiam soltar mais de 1500 caças abutres para defender-se de intrusos.

A Nave de Controle Droide era uma versão modificada do cargueiro Lucrehulk. A grande diferença era um enorme computador central, criado com o objetivo de facilitar o controle de várias unidades droides ao mesmo tempo. As ordens do computador eram transmitidas por grandes antenas instaladas por toda a nave. As unidades droides respondiam com atualizações de combate e outras informações do local em que operavam. Essas respostas eram essencias para o computador central aprender novas táticas de combates e consertar erros no comando. Outro método para comandar várias unidades droides, era de os próprios comandantes enviarem suas ordens de forma direta para seus droides sem passar pelo computador central.

Mesmo com essas imensas modificações, foi possível perceber que os hangares laterais nunca foram feitos para a guerra. As baterias lasers nas laterais da nave davam uma breve defesa até os pilotos inimigos ficarem acima delas pelo resto da luta. Para piorar, os reatores nucleares eram bem sensíveis, algo visto durante a Batalha de Naboo.

Após a Batalha de Naboo, a República ordenou que a Federação de Comércio dissolvesse seu exército. A Federação obedeceu a ordem, mas acabou convertendo seus cargueiros em transportes militares vistos durante as Guerras Clônicas. Essa nova versão era capaz de adentrar a atmosfera de planetas e recuar o mais rápido possível durante um ataque. Durante o período imperial, muitas dessas naves caíram nas mãos dos poderosos mercadores do Setor Corporativo.

Fonte: Star Wars – The New Essential Guide to Vehicles & Vessels (livro).

ABOUT THE AUTHOR

Também conhecido como "Grievous". Membro do CJSP e fanático por Star Wars desde criança.