Pessoal, hoje estamos de volta com nossa coluna sobre cosplayers, e vamos conhecer o Luis Felipe Nascimento, que não abre mão de um cosplay em família. Fala, Luis!

________________________________________________________________________________

 “Lembro de gostar de Star Wars desde tenra idade… lembro que lá pelos meus 4 anos, ganhei a máscara do Darth Vader. Fiquei super feliz!

Sobre cosplay, lembro de ir em pelo menos 3 matinês de carnaval, fantasiado e participando de concurso de fantasias, onde fui o Homem Aranha, Simbá o marujo e o Vulcão Negro dos Super Amigos (aquele antigo!). Lembro da minha família incentivar, pois dentre os últimos citados, minha tia e minha mãe que costuraram (usaram até cartolina e gliter pra fazer os raios do Vulcão Negro, rs).

Anos mais tarde, ao vir trabalhar e morar em SP, conheci várias subculturas geeks/nerds, passando pela cultura cigana, medieval e me achei novamente inserido no fandom de Star Wars. Como ‘sou um com a Força e a Força está comigo’, encontrei pessoas que me ajudaram e me apoiaram nessa saga, como o pessoal do Conselho Jedi SP e também minha esposa, que acabou e entrando na brincadeira. Hoje somos uma família de cosplayers. Minha filha de 9 anos já se vestiu de Leia (na Jedicon SP 2015) e Rey (Jedicon SP 2016). Minha esposa também foi Leia em 2015. Em 2015 fui à Jedicon SP como um sith genérico, adaptando umas roupas que tinha em casa, fazendo “cospobre” sem medo de ser feliz. Em 2016 incorporei um jedi genérico em outros eventos, como a Star Wars Force Friday, e em 2017 tenho participado de algumas Jedicon (Tocantins, RJ, MG, e pretendo ir na de SP) como o Luke Skywalker do Episódio VII.

Acredito que esse hobby, de se vestir como seu personagem favorito, nos conecta a esses personagens e nos faz conhecê-los ainda mais. Espero também que contando um pouco de mim, estimule outras pessoas a fazerem cosplay, mesmo que no começo não saia exatamente igual. Também não precisa gastar horrores, pois tem muita costureira habilidosa e que pratica preço justo, basta procurar e negociar.

Além do hobby de cosplay também pratico o swordplay, que é o mais próximo que irão encontrar de uma luta real de espadas, lanças e até sabre de luz. Os equipamentos são revestidos e acolchoados, podem ficar tranquilos. Esse pseudo esporte é praticado com muita segurança, não permitindo golpes na cabeça e genitais, mas isto é uma outra história, que eu conto com maior prazer numa próxima oportunidade.

Que a Força esteja com vocês! Obrigado CJSP pela oportunidade. Nos vemos em breve, seja na Jedicon ou outros eventos.”

ABOUT THE AUTHOR

Curador cultural especializado no segmento nerd. Coordenou o projeto Geek.Etc.Br na Livraria Cultura entre 2012 e 2016, e atualmente é consultor na V&F Consultoria e Eventos. É editor do site Hipertextos, e estreou como roteirista de quadrinhos no final de 2016, no projeto Pátria Armada - Visões de Guerra. Presidiu o Conselho Jedi São Paulo, em curtíssima temporada, em 2001, e hoje faz a gestão de conteúdo do grupo.