A edição de 2018 da Brasil Game Show, maior feira de games da América Latina, está terminando, mas por aqui você fica por dentro do que rolou, com a cobertura do Conselho Jedi São Paulo. A 11ª edição do evento, já consolidado no Brasil, aconteceu no Expo Center Norte dos dias 10 ao 14 de outubro, levando ao centro de convenções grandes nomes do mercado de games do Brasil e do mundo.

Todas as grandes marcas se fizeram presentes: Sony Playstation, Microsoft Xbox e Nintendo, além das Marcas de equipamentos e periféricos para PC como Nvidia, HyperX, Samsung entre outras.

 

A possibilidade de jogar o que nem foi lançado ainda rolava em quase todos os stands. Tivemos o prazer de testar Sekiro: Shadows Die Twice (rodando no PS4 Pro!), a nova joia da Fromsoftware, que aprimorou a jogabilidade da série ‘Souls’ e trouxe um requinte novo. O jogo, que segue o mesmo padrão de beleza dos lançamentos anteriores, traz novidades em termos de jogabilidade, adicionando ao personagem habilidade de pulo, eliminando a barra de stamina e acrescentando a mecânica de resistência, o que deixou o jogo muito mais rápido e emocionante.

No stand da Warner/Ubisoft, além dos tradicionais Justa Dance, Rainbow Six e Assassin’s Creed, tivemos a oportunidade de experimentar o remake de Resident Evil 2 (RE2), e foi outra experiência diferenciada. Jogando a demo da versão Leon, vimos o quanto a qualidade é gráfica é excelente no PS4. Com qualidade fotorrealista, o jogo se divide em momentos de gloria gráfica e pouquíssima iluminação, usando apenas a lanterna presa na arma do personagem e introduz a você uma experiencia de um lugar fechado e opressor, onde o pânico toma conta e hordas de zumbis saem das janelas para se alimentar de você. Outro ponto muito forte no jogo é a trilha sonora, ou melhor, a ausência dela. Qualquer barulho dos seus passos ou algo que você derrube irá ecoar pelo ambiente, deixando o jogador totalmente apreensivo e paranoico.

Ao circular pelo evento nota-se que os stands de Playstation e Xbox se destacam muito. Além de serem os centros das atenções, são onde as filas são maiores, e onde os fãs vão certamente primeiro. No stand de Xbox experimentamos o aguardado The Division 2, e pudemos jogar a mesma demonstração que vimos apresentada na E3. O jogo traz uma série de novas armas e aposta na cooperação do multiplayer, indicando que é melhor jogar com os amigos do que sozinho contra uma horda de inimigos. O gráfico se mantem bem bonito, mas sem grande inovação.

O evento ainda teve, como atrações, convidados importantíssimos do mercado de games. Desde Nolan Bushnell, o “pai” dos vídeo games e projetista do Atari 2600, até grandes desenvolvedores da CAPCOM, como Michiteru Okabe  (Devil May Cry 5), Yoshiaki Hirabayashi (Resident Evil 2) e Yoshinori Ono (Street Fighter). Cory Barlog e Glauco Longhi vieram pela Playstantion falar um pouco de como foi produzir God Of War, que está entre os títulos mais cogitados a Jogo do Ano.  Charles Martinet, o ator dublador do Super Mario nos videogames, levou os fãs ao delírio todas as vezes que repetiu a frase mais marcante do encanador da Big N.

 O evento é grande e o público tem faixas etárias variadas, desde os que cresceram com os vídeo games mais antigo, ate quem esta na escola hoje e joga nos Smartfones. Todos os grandes veículos especializados em games fazem ostensiva cobertura da BGS, entre eles IGN, Gamespot, Voxel, Adrenaline, o que fazendo do evento uma ótima oportunidade pros desenvolvedores indie mostrarem o que estão fazendo, e eventualmente conseguirem viabilizar novos projetos.

Com certeza a Brasil Game Show já está mais do que consolidada no mercado mundial e é destino certo no calendário de eventos no Brasil.

 

Fotos de Hellen Lobo Fotografia

ABOUT THE AUTHOR

Nerd, Gamer, Mandaloriano, Marido da Hellen, que gasta o tempo lendo livros e jogando pra estar sempre atualizado no novo Canon e acha que os fãs superestimam o legends. Ou não.